carnaval

sambas de enredo

Brasil com 'Z' é pra cabra da peste, Brasil com 'S' é nação do Nordeste

Mangueira - 2002

Mangueira encanta
E canta a história que o povo faz, ô, ô, ô, ô
Vem mostrar a nação do valente sertão
De guerras e de sonhos imortais
A cada invasão, uma reação
Pra cada expedição, um brado surgia
Brilhou o sol no sertão
À luz de um novo dia
Lendas e crendices, mistérios que vêm ao luar
No Velho Chico Naveguei, com meu cantar

No canto e na dança, no pecado ou na fé
Vou seguir no arrasta-pé
Deixa o povo aplaudir
Ao som da sanfona, vou descendo a ladeira
Com o trio da Mangueira
"Doce Cartola", sua alma está aqui


Padim padre Ciço, faça chover alegria
Pra que cada gota seja o pão de cada dia
Jogo flores ao mar pra saudar Iemanjá
E na lavagem do Bonfìm, eu peço axé
Terra encantada e predestinada
Tua beleza não tem fìm
Brasil, no coração eu levo paz
Pau-de-arara nunca mais

Vou invadir o Nordeste, seu cabra da peste
Sou Mangueira
Com forró e xaxado, o filho do chão rachado
Vem com a Estação Primeira